quinta-feira, 15 de março de 2012

A água de colónia de Napoleão Bonaparte


Olá, Napoleão além de baixote era também cheiroso, quem sabe até em demasiado. A história da água-de-colónia que está na origem da marca francesa Roger&Gallet é romântica, aristocrata e um caso de sucesso que se perpetua há 150 anos. Em ano de aniversário, recordamos como tudo começou.
Napoleão Bonaparte não usava nenhum perfume, apenas uma “água” com um aroma leve e fresco de propriedades terapêuticas, que até ao século XVIII era vendida em exclusivo por boticários e até prescrita por médicos. Conta-se que o imperador francês era tão fanático pela fragrância que usava 50 frasco por mês e para além de a usar no corpo, diz-se que também a bebia.
A "água" em questão era a Eau de Cologne Jean Marie Farina, perfumista e herdeiro de uma tradição de boticário que teve um papel decisivo na arte da perfumaria. Farina herdou a fórmula da Aqua Mirabilis ("água admirável") criada em 1693 pelo italiano Gian Paolo Feminis e popularizou-a ajudando a trazer a água-de-colónia para o quoditiano das pessoas.
Interessante.
Beijos da Alex:)

Um comentário:

Sweetcita disse...

Este post é muito interessante ;) bjinhos